Buscar
  • Ana Ayroza

Desabafo de uma mente inquieta.

Hoje o dia pareceu começar normal, como todos os outros. E não sabia, mas teríamos notícias boas, mas elas não seriam suficientes para acalmar minha mente.

Hoje o dia pareceu começar normal, como todos os outros. E não sabia, mas teríamos notícias boas, mas elas não seriam suficientes para acalmar minha mente.ade, angústia, pensamentos mais rápidos do que meu cérebro consegue processar.

Teve uma época que eu tomava muitos remédios. Depakote, fluoxetina, Rivotril, teve época que eram 15 por dia.... e na mesma época eu bebia. Bebia muito. Tive esteatose hepática, me vi completamente perdida, desesperada, e sofria muito. Comecei a me cortar, a auto mutilação ajudava, e conheci uma menina que era igual a mim. Nos ajudamos, nos apoiamos. Recebi alta em 2006, mas hoje lembrei dessa época. Simplesmente porque a sensação de falta de controle sobe a minha cabeça era muito similar.

Hoje não bebo mais. Nada. Mas como....como doces, gorduras, carboidratos. Brinco que hamburgueres são meus amigos. Ontem resolvi dar um basta nesse vício. Que mesmo que eu controle um pouco ainda me domina. Eu ainda recorro à comida quando estou triste, frustrada, feliz, recompensada. Então ontem resolvi que seria o começo de uma nova era. Teria completo controle sobre o que eu como, penso, faço.

Errei.

Hoje comi. Hambuguer, batata frita, sorvete.

E logo depois veio a culpa, a mente mais inquieta ainda, a sensação de que não tenho controle nem sobre o que eu como, quem dirá sobre o resto da minha vida. Isso junto com um momento de decisões difíceis deixa tudo mais intenso.

Cheguei em casa abalada. Brava. Desapontada. Minha cabeça prega truques comigo. Não me ajuda. Eu penso demais e faço de menos. Eu analiso demais e ajo pouco. Eu pré-ocupo demais.

Então resolvi vir desabafar.... colocar pra fora sempre me ajudou a fazer parar. A descansar.

Saiba, amigo de mente inquieta, que você não é o único. Que outras pessoas sofrem por motivos parecidos e também ainda não aprenderam a controlar nosso poder.

Saiba, amigo de mente inquieta, que temos o poder de diminuir a rotação, de olhar para dentro, de deixar o silêncio organizar nossos pensamentos.

Para mim funcionam 4 coisas: sentar paradinha, olhar um ponto da natureza e observar a beleza de algo simples como uma folha balançando ao vento.

Também funciona nadar, tomar banho, lavar o carro, entrar numa cachoeira ou qualquer contato com a água.

Ou... parar tudo. Interromper o dia e assistir um filme, um episódio de uma série legal, ou um programa da National Geografics.

E por último.... malhar. Correr até minhas pernas ficarem doloridas e minha roupa encharcada.

Então, amigo de mente inquieta, pause. Respire. As coisas vão melhorar.

Só não procure a comida. Não conforte no álcool. Não volte para as drogas. Nada disso vai te ajudar de verdade. Só por hoje. Porque "Deus é bom o tempo todo. O tempo todo Deus é bom."

Obrigada por ler.


0 visualização

Fale conosco      (11) 97261 - 3183

                            (19) 99668 - 0249

                                                

  • Facebook Social Icon